quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Quem é a Wanessa? uma mulher com cara de menina e muita história pra contar.

Galera deixa eu me apresentar e contar um pouco de mim.

Sou Wanessa, podem me chamar de Wan.

Quero que vocês me conheçam um pouquinho mais... Quem sou, quem fui e quem pretendo ser.

Wanessa dos Santos Motta ao nascer, filha de Sonia e Wagner, primeira neta dos dois lados, José Antonio e Conceição avós Maternos, Antonio Carlos (in memorian) e Neuza avós paternos.

Meus pais casaram-se em 13/12/1980 grávidos de mim, em 13/02/1981 vim a este mundo, uma ruivinha linda de olhos azuis, branquinha... Mamãe sofreu muito durante a gravidez, pois minha avó materna dizia que era golpe da barriga e que eu não era filha do Wagner... Mas, como Deus é justo, nasci, cagada e cuspida a carinha do Wagner... O maninho de piquita. (maninho é o apelido de meu pai).

Em 12/10/1982 ganhei uma linda irmãzinha Walleska, morena como a parte da minha mãe.

Infelizmente por problemas de gênios meus pais vieram a se separar em meados de 85. Eu com 4 anos sofri muito a separação de meus pais, tive problemas psicológicos, depressivos, pois eu era muito parecida com meu pai, e no início da separação era constantemente atacada pela minha mãe, pois ela não se conformava com o desquite e era em mim que ela descontava.

Meu pai deu um prazo de 1 semana pra minha mãe arrumar as coisas e sair de casa com as filhas dela, quem nos acolheu foi meu avô materno José Antonio, mais um DA SILVA com orgulho. Pra começo de conversa ele nem meu avô de verdade ele é, ele é o marido da minha avó que quando se juntou com minha vó Conceição minha tia Anália tinha 2 anos e minha mãe meses. Mas ele não é somente meu avô, ele é meu pai, meu maior HEROI, pois um kra que não tinha a mínima responsabilidade acolheu minha mãe e 2 netas na casa dele, e ai de quem fizesse a burrada de dizer que não éramos filhas e netas dele.

Nunca conheci o pai biológico da minha mãe e isso nunca me fez falta, pois tinha os melhores avôs que eu jamais poderia ter.

Cresci... Uma criança revoltada com a vida pela separação de meus pais, não fui fácil, dei trabalho, fui uma bebê, uma criança, uma pré-adolescente, uma adolescente e uma adulta obesa.

Aos 16 anos, resolvi fazer minha ultima tentativa de regime, pois pesava na época 80 kilos. Foi quando descobri meus problemas de tireóide e que eu tinha CÂNCER na tireóide.

Fui e sou tratada até hj no Hospital das Clinicas, santo lugar.

Quando fiz meus primeiros exames, e tratamentos, os médicos nunca me diziam o que realmente eu tinha, chamavam de doença de Plummer, foram levando isso até meus 19 anos, quando eu não mais podia esperar, passei em consulta numa quarta feira de novembro de 2001 e na quinta já estava internada para fazer a remoção do bócio do lado direito. Quando saiu o resultado eu já sabia o que eu tinha, e no mesmo dia me re-internaram para retirada urgente do lado esquerdo. Pois haviam feito uma raspagem e lá identificaram um Tumor raro que dava apenas em mulheres acima de 50 anos.

Quando acordei da anestesia, meio zonza eu pensei que tinha sonhado, mas ouvi e constatei meses depois que não era um sonho foi real, a médica perguntou a minha mãe se ela acreditava e Deus e pediu pra minha mãe orar, pois eu somente tinha 6 meses de vida.

Lutei com todas as minhas forças, fiz os exames e tratamentos, mas parece que quando as coisas começam ruins não vão ser consertadas nunca mais.

Foi assim que me senti, desamparada, abandonada por Deus. Em 18 de agosto de 2001, meu primo Jorge 21 anos que morava em frente a minha casa morreu asfixiado em uma explosão de balão onde ele e mais 7 morreram, 1 ano depois, morre Marcelo, havia acabado de completar 17 anos (15/06) e foi a óbito em 26/07/2002, motivo: Câncer, tipo raro 1 ano de vida contado, foi enterrado no dia do aniversário do irmão mais velho 27/07 e de seu gêmeo Allan que nasceu e veio a óbito no mesmo dia, grande presente para o Alexandre, minha tia, pra todos da família, desgraça pouca seria bobagem. Mas as mortes não pararam por ai, 17 de agosto de 2002, Kiko, 22 anos, pai de Matheus 1 ano e Gabriel 15 dias, morre após coma no hospital das clínicas, motivo: Aneurisma cerebral, sim 1 ano depois do Jorge foram mais 2 primos.

Jorge, meu amigo de fé, meu irmão camarada, ele namorava a Kátia e eu o irmão dela, aonde um ia o outro tava junto, empinávamos pipa junto. Marcelo, meu primo rockeiro, meu irmãozinho pra todas as horas de balada punk, hard, Black ou qqr gênero de rock era nóis, Kiko, ah! Grande kiko, defendia as primas como filhas dele, comemorávamos todos os anos o nosso aniversário juntos, eu 13/02 e ele 19/02. Grande saudade vcs me deixou.

Entrei em tremenda depressão e me entreguei definitivamente à obesidade. Larguei os estudos, não quis saber de mais nada.

Pra piorar me sentia como bicho quando fiz a Radio-iodo-terapia, trancada em um quarto por 1 semana sem ver ninguém, a comida passando por baixo da porta, a janela era blindada com chumbo e aço assim como a porta. EU ESTAVA EM UMA JAULA.

Meu pai, nem se quer apareceu pra saber se eu precisava dele ou estava viva, eu tinha um banco de sêmen e não um pai.

1 ano se passou e eu ainda estava viva, lutando assim como havia prometido ao Marcelo, meu segundo nascimento.

Aos 23 anos, entalei em uma catraca de ônibus indo trabalhar, ônibus lotado, sentido Santana, a catraca não ia e nem voltava, todos rindo, alguns em pânico, e eu me sentindo a pior de todas as pessoas.

ACORDEI, decidi mudar, fui procurar auxilio no HC, a médica disse que era preciso fazer regime, mas não quis me passar dieta, meses depois o telefone toca em casa e meu avô atende e anota o recado, era o HC me chamando pra comparecer em um sábado lá.

Fui afinal devia minha vida a eles, mesmo sem saber para o que era. Chegando lá me deparo com vários obesos, até me assustei, descobri que seria o primeiro mutirão da obesidade. Isso foi em 2005, peso: 130 kg, obesidade mórbida fase 3, risco de vida. Indicação CIRURGIA BARIATRICA.

Achei que levaria 15 anos pela entrevista que fiz com os médicos, em 07 meses me chamaram para fazer os exames, outubro de 2006. Dezembro a cirurgia, 26/12 em 25/12 acordei com pneumonia, cirurgia adiada em menos de 24 horas antes de acontecer a cirurgia, alta, tratamento pesado, pensei que nunca mais conseguiria, perdi a chance de ser alguém ... Retorno no ambulatório em 08/01/2007 internação em 09/01 e cirurgia em 10/01/2007. Sucesso... Minha segunda vitória, mais uma data de nascimento. Em 2007 conheci meu esposo, fiquei noiva em 22/11/2008, meu avô Antonio Carlos teve um Infarto e parece que ele só esperou meu noivado e o CORINTHIANS voltar para seu posto na primeira divisão, faleceu em 25/12/2008.

25/05/2009 comprei meu Apartamento e começou um novo pesadelo. Casei em 01/08/2009 por pressão do meu avô José Antonio que queria morrer e me ver casada. Graças a Deus ele ainda está vivo, mas fiz a vontade dele. Ainda moro com ele, e tenho fé que ainda vai ter o prazer de ter um bisnetinho em seus braços.

13/08/2010 minha primeira cirurgia plástica após ter emagrecido 73 kilos.

Essa é a Wanessa, guerreira, batalhadora, honesta, transparente, FORTE, e acima de tudo VENCEDORA.

Wanessa Motta Barreto nascimentos: 13/02/81 , 13/12/2001 e 10/01/2007, e não pretendo morrer tão cedo.

E aí TRISUL, vai encarar?

Wan 2006

Wan 2007

Wan 2004 a 2009


Wan 2008
Rafa e eu

R

Rafa e eu

Rafa e Eu

Marcelo Motta (in memorian)

Vô Carlos (in memorian)

Vô Zé



Wan 2010 antes das plásticas

2 comentários:

merdaneles disse...

Parabéns pela determininação! Outras pessoas teriam arregado logo no começo, mas você mostrou que não é "apenas mais 1".
E parabéns por ter alcançado seus objetivos.

Ana Cecilia disse...

Parabéns...

Vc é lutadora, guerreira é disso que o nosso país precisa, ou melhor, o mundo precisa.

seja feliz